Tiago Camilo por Tiago Camilo

Foi no dia 24 de maio de 1982, em Tupã(SP), que dei meus primeiros suspiros, mas não era uma data qualquer, era o ano do centenário do Judô e, talvez, meu destino já estivesse traçado.

Tudo começou em Bastos, interior de São Paulo, onde cresci e aprendi a dar meus primeiros golpes. Meu pai e meu irmão Luiz Camilo, mais conhecido como Chicão, foram meus grandes incentivadores.

Daquela época, me lembro da frase dita pelo professor Omar Miquinioti ao meu pai, e que mudaria toda minha vida: “Seu filho tem potencial para ser atleta olímpico”.

À partir daí, meu pai começou a me inscrever nas competições, primeiro as internas, depois municipais, estaduais e assim por diante…

Minha primeira grande experiência competitiva, a qual nunca vou me esquecer, foi em São Paulo. Como chorei naquele dia, talvez por achar que lutaria com todos os atletas presentes no ginásio. Ganhei a competição, mas na foto do pódio fica nítida a minha fisionomia apreensiva.

Em Bastos vivi até os meus quatorze anos. Como tenho boas recordações daqueles tempos. Sempre fui muito disciplinado em casa, na escola, com meus pais, meus irmãos, meus professores, meus amigos na academia de judô e com meus companheiros de treino.

Aliás, era pré-requisito para treinar judô, ser um bom filho, irmão, amigo. E foi assim que moldei minha personalidade e meu caráter desde cedo.

Logo conquistei títulos estaduais e brasileiros. Já que meu irmão também começava a se destacar no cenário nacional, então decidimos tentar algo maior. Uma grande decisão para mim, provavelmente a maior de toda a minha vida. Nos mudaríamos para São Paulo para participar do “Projeto Futuro” (Programa Olímpico de Alto Rendimento do Estado de São Paulo).

Deixando assim para trás toda a nossa história, nossos pais, nosso irmão caçula (Rafael de apenas sete anos na época) e muitos amigos. Mas era isso que queríamos e a decisão estava tomada.

Só que antes, precisávamos nos candidatar e passar no teste… Assim fizemos, mandamos nossos currículos e no teste fomos aprovados.

Chegamos à capital paulista em um domingo, no começo de fevereiro de 1997. Meu irmão mais velho Chicão estava tranquilo, eu nem tanto. Meu pai, de coração apertado, já não dizia nada, era melhor não deixar transparecer a emoção…

Tinha uma frase muito clara em minha mente, antes mesmo de sair de casa: “Mudam-se os lugares, mudam-se as pessoas, mas o objetivo é sempre o mesmo, ser o melhor, ser o número 1”.

E não era só isso, precisava mudar todos meus hábitos, ou melhor, ter bons hábitos.

 

TÍTULOS CONQUISTADOS

  • Pentacampeão Pan-Americano: 2005/2007/2014/2015/2016

  • Campeão Sul-americano: 2005

  • 23 vezes medalhista em Copa do Mundo/Gran Prix e Grand Slam (1998/2016)

  • 8x Campeão Brasileiro

  • 8x Campeão Paulista

  • Vice-Campeão Olímpico Sydney 2000

  • Terceiro colocado Olimpíadas de Pequim 2008

  • Campeão Mundial Juvenil 1998

  • Campeão Mundial Júnior 1998

  • Campeão Mundial Sênior 2007

  • Campeonato Mundial por Equipes: Bronze 2005 e Prata 2011

  • Tricampeão dos Jogos Pan-Americanos: 2007/2011/2015

 
 

FOTOS E MEDALHAS